Recéxis – Reciclagem Existencial

Reciclagem Intraconsciencial

O que é recéxis?

A recéxis, ou reciclagem existencial, é o conjunto de ações técnicas tomadas pela pessoa para renovar sua vida e obter o maior nível de completismo existencial possível, após ter incorrido em um ou mais desvios de proéxis (proéxis = programação existencial).

Quem pode aplicar a recéxis?

Este recurso evolutivo é adequado para a conscin que anseia reciclar a existência e começar a priorizar a proéxis já na adultidade, ou ainda adolescente, mas possui algum impedimento quanto à invéxis. Recéxis não é “prêmio de consolação” para quem não é inversor; é uma técnica que exige dedicação, despojamento para renovações, um reconhecimento de que as escolhas que fez e a trajetória realizada até o momento precisam ser mudadas.

O que o reciclante procura com a recéxis?

O reciclante procura, através da virada de mesa, recuperar o tempo perdido e minimizar as conseqüências do período em que desempenhava atividades secundárias e/ou divergentes quanto à programação existencial. Além de rever os traços pessoais deficientes e o porão consciencial remanescente, é fundamental arrumar a bússola existencial buscando melhorar o desempenho da assistência.

Que postura adota o reciclante existencial?

As renovações envolvem todos os planos e ações da vida, principalmente a mudança intraconsciencial, envolvendo os pensenes, os hábitos e a cosmoética pessoal. Para se adaptar às mudanças, o reciclante precisa de maior esforço e determinação, buscando superar as rotinas obsoletas, conciliando compromissos sociais e familiares, inevitáveis e necessários à proéxis.

Pode falar um pouco sobre a invéxis e a recéxis?

A invéxis é uma escolha, a recéxis é, em muitos casos, uma imposição da própria vida humana, reajuste indispensável para colocar em prática o curso intermissivo. Não é uma imposição externa, mas íntima, gerada por saturação e equívocos e vontade sincera de reavaliar e reciclar a própria vida.

O que diferencia o inversor do reciclante?

O inversor existencial pode optar pela recéxis, por exemplo, quando escolhe a maternidade ou a paternidade, em algum momento da sua vida. Já o reciclante não tem mais possibilidade de optar pela invéxis nesta existência. O tempo já passou, as oportunidades já não são as mesmas de antes, as possibilidades de reciclagem são diferentes do inversor, pois assumiu compromissos dispersivos à proéxis (muitos deles irreversíveis) ou, caso ainda não os tenha, já consolidou hábitos patológicos na fase adulta piores do que estes compromissos divergentes da proéxis.

Porque a invéxis é mais avançada do que a recéxis?

Porque a conscin começa no rumo certo da proéxis, desde a juventude, não significa que o inversor seja mais evoluído comparado ao reciclante, o que interessa é o saldo da ficha evolutiva. A invéxis é profilática perante a vida intrafísica, prevenindo erros e vícios difíceis de corrigir na fase adulta. A disponibilidade para a execução da proéxis é integral, ou seja, não há comprometimentos impeditivos ou inibidores das decisões e ações. Neste sentido, os inversores tem mais responsabilidade com os resultados da aplicação técnica ao final da vida, já que as condições são mais favoráveis.

Quando ocorre a recéxis?

A recéxis é terapêutica, pode ocorrer devido a arrependimento, ato anticosmoético, omissão, acomodação, desvio de proéxis, autocorrupção. Há vários compromissos que não podem ser ignorados, sendo necessário rever as possibilidades no atual contexto de vida. É preciso que cada um, inversor ou reciclante, avalie em si como se sente em relação às duas técnicas evolutivas.

Em que consiste a recéxis?

A prática da recéxis consiste nas alterações para melhor do “lado de fora” da estrutura consciencial. Estas exorreciclagens, ou práticas de recéxis, são exemplificadas pela mudança de base física, organização da vida pessoal, dedicação ao autodidatismo e outras ações intrafísicas que possam contribuir para o desempenho da proéxis ou predispor o reciclante existencial às reciclagens intraconscienciais, ou recins.

A recéxis pode predispor a recin como é isso?

Segundo Marta Ramiro, no decorrer do uso da técnica da recéxis, no caso do pré-serenão vulgar, na maioria dos casos, em primeiro lugar surge à prática da recéxis (mutações exteriores ao microuniverso consciencial) e depois, surgem as recins (mutações intraconscienciais). Sem recin (aprendizado, ou “cair a ficha e completar a ligação”), a técnica da recéxis não se fixa; pois, a pessoa pode retornar aos hábitos antigos. Por isto, praticante da recéxis precisa impulsionar o esforço pessoal, para atingir os objetivos almejados.

Quais os objetivos da recéxis?

O objetivo mais importante para o reciclante existencial é atingir o completismo existencial; cumprir a programação existencial e, ainda, atingir o estado de desperticidade.

Como saber a minha proéxis para chegar ao completismo existencial?

A questão é: “qual é o replanejamento existencial para esta vida humana que, no seu caso é necessário, para você atingir o estado de desperticidade?”

Voltando a afirmação anterior: a técnica da invéxis e da recéxis foram criadas para facilitar o acesso ao completismo existencial; então, surge outra questão: qual especialidade da Conscienciologia constitui a diretriz básica da sua programação existencial? Ou seja: você chegará ao estado de desperticidade, por meio de qual especialidade da Conscienciologia? Que replanejamento de vida essa especialidade exigirá de você? Quais são as suas prioridades evolutivas?

As prioridades da evolução são personalíssimas do ponto de vista público de interesse. Em decorrência do passado, há quem tenha maior vínculo com grupos de consciências extrafísicas: bélicas, ou religiosos, ou políticos; enfim, qual é o grupo mais numeroso, no seu caso particular?

            Fica claro, portanto, que a proéxis foi elaborada conforme os talentos, as qualidades, da consciência, trazidos de vidas anteriores. Mas, há fissuras da personalidade, que precisam ser sanadas.

            E ainda, no decorrer da existência humana, surgiram oportunidades de você realizar um curso, ganhar um livro, fazer uma viagem, totalmente, fora das suas pretensões. Só que esses “recebimentos” são úteis no desempenho da proéxis. E, por fim, cada pessoa tem motivação para estudar determinado assunto, determinado tema. Qual é a “matéria” que desperta seu interesse?

            Seja qual for a especialidade escolhida, a técnica da recéxis só produzirá efeitos se for vivenciada, praticada, experimentada.

Bibliografia: Inversão existencial pag. 71, 72.
Artigo: Técnica da Recéxis – Marta Ramiro.
Link
Anúncios

Renovações Pessoais

PALESTRA PÚBLICA

TEMA: RENOVAÇÕES PESSOAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DOS TRAÇOS-FORÇA DA CONSCIÊNCIA

Autora: Adriane Corrêa

Renovação

Renovações Pessoais: a importância da mudança

Evolução significa movimento. Para que a consciência evolua, cresça, é mister que ela passe por mudanças. Mudar significa passar de um estado para outro, de uma condição para outra, da situação atual para outra desejada. Porém, mudar não é fácil. Somos consciências multimilenares e possuímos traços favoráveis e desfavoráveis para a nossa evolução. O objetivo desta pesquisa é propor uma reflexão sobre os traços fortes da consciência, por intermédio da autopesquisa, e apresentar técnicas no intuito de facilitar as renovações pessoais. Reciclar exige trabalho para incrementar com teática novos mecanismos de funcionamento, não se devendo achar que existe “mágica” para produzir a reciclagem existencial.

 O que é reciclagem existencial e reciclagem intraconsciencial

  • Reciclagem existencial é a técnica conscienciológica que objetiva a mudança para melhor de todo o curso e perspectiva da vida humana do reciclante, motivado a adotar novo conjunto de valores ante a vida e todos os princípios conscienciais multidimensionais.
  • Sinonimia: Mudanças pró-evolutivas, recéxis, renovação consciencial, reperspectivação existencial, virada de mesa.
  • Antonimia: mimese dispensável, repetições inúteis, acomodação, acrasia, preguiça, perda de tempo e de oportunidades, robéxis.
  • Reciclagem intraconsciencial é a renovação cerebral através da criação de novas sinapses ou conexões interneuroniais capazes de permitir a aquisição de novas idéias, auxiliando na reestruturação da forma de pensar, sentir, agir e reagir.

 Exemplos de reciclagens conscienciais

As mudanças ocorrem nas nossas vidas diuturnamente. Nosso corpo físico muda continuamente, queiramos ou não. Podemos mudar várias coisas: o cabelo, o emprego, o namorado, o carro etc. Nosso enfoque nesta pesquisa será na mudança de comportamento, na renovação para melhor dos traços da consciência, nos atributos conscienciais, no upgrade gerado pela reciclagem.

  Perguntas  e respostas sobre a reciclagem

1. Quem pode executar a recéxis? A conscin já comprometida com interesses humanos definidos e que anseia mudar-se para melhor.

2. Quando pode-se abraçar o processo da recéxis? Quando seja possível, quanto antes melhor.

3. Por que se desenvolve hoje a recéxis? Porque as conscins, estando mais lúcidas e saturadas tão-só das rotinas humanas, anseiam alcançar a condição da desperticidade e, depois, do serenismo.

4. Qual a vantagem de se executar a recéxis? Alcançar a expansão satisfatória da proéxis.

 Crises de crescimento e crises de sofrimento

  • Crise de crescimento é a condição específica de conflito íntimo vivenciado pela consciência, capaz de oportunizar novas posturas, atitudes proativas, reciclagens existenciais e reciclagens intraconscienciais.
  • Crise de sofrimento é o estresse doentio gerado pelo momento difícil vivido pela consciência, que por imaturidade, não enxerga através da crise, oportunidade de crescimento, utilizando-a enquanto instrumento de mudanças.

O ideal é antecipar as crises de crescimento. Não é evolutivo viver na inércia.

Você tem desafios, hoje, na sua vida?

 Os traços força, traços fardo e traços faltantes da consciência.

TRAFOR – traço-força da consciência, alavancador da evolução pessoal, facilitador evolutivo, qualidades.

TRAFAR: traço-fardo da consciência, fissura consciencial, dificuldade evolutiva, defeitos.

TRAFAL: traço faltante na personalidade da consciência, trafor a ser adquirido.

 O trinômio autevolutivo: eliminação de trafar – aquisição de trafal – fixação de trafor.

Esse trinômio encontra-se no verbete Trafor Consequente (Especialidade Traforologia) da Enciclopédia da Conscienciologia e é a base do presente estudo. Visa à construção de um perfil autevolutivo mais eficiente e assistencial por meio da reciclagem.

 Fatores atravancadores da reciclagem

  • Síndrome de Gabriela: Nos anos 70 a Rede Globo exibiu uma novela, cuja protagonista era chamada Gabriela, interpretada pela atriz Sonia Braga, cuja música tema, cantada por Maria Bethania, tinha em sua letra o seguinte refrão: “… eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim, Gabriela, sempre Gabriela… Assim, a síndrome de Gabriela é um comportamento que se manifesta pela atitude de recusa à mudança e resistência aquilo que é novo ou diferente dos padrões pré-estabelecidos.
  • Medo: muitas vezes as pessoas fogem das mudanças por causa do medo. O medo de dar errado, o medo de não conseguir, o medo de se frustrar, o medo de arriscar, o medo do ridículo, o medo de não ser aceito, o medo de sentir medo.
  • Decidofobia: medo de decidir, preferir ficar na zona de conforto. Viver a vida como aquela música do Zeca Pagodinho: “deixa a vida me levar, vida leva eu…”
  • Procrastinação: empurrar com a barriga, deixar para amanhã, não agir, não tomar decisões.
  • Ganhos secundários: em geral existe algum ganho que a pessoa não quer abrir mão, e que a impede de mudar.
  • Gargalos evolutivos: todos esses fatores impeditivos da renovação são considerados verdadeiros gargalos evolutivos, que uma vez superados colocam a consciência em um novo patamar, pronta para novos desafios.

Há conscins que não querem mudança de coisa alguma, nem de si mesmas

(Vieira, 700 Experimentos, p. 688)

 Qual o meu nível de recexibilidade?

(Vieira, 700 Experimentos, p. 685)

 Como executar a reciclagem?

Através da vontade, da disciplina e da reprogramação existencial com bases nos princípios da Conscienciologia, pela utilização de técnicas.

Apresentamos a seguir as quatro fases da Consciencioterapia.

 Autopesquisa – autoinvestigação

A autopesquisa é a base do autoconhecimento é a megaferramenta e o megadesafio de toda consciência lúcida quanto à sua evolução.

Trabalhar a autopesquisa de forma técnica: importância do comprometimento e da aplicação de técnicas que vão ajudar a pessoa a fazer o autodiagnóstico.

 Técnicas:

  • Identificação de trafores, trafares e trafais elaboração de uma lista contendo trafores, trafares e trafais. Vale a pena pedir para amigos, inimigos, familiares, colegas de trabalho para fornecerem listagem com nossos traços, sempre usando auto-crítica na avaliação.
  • Técnica dos dicionários, sinônimo e antônimo: é muito importante o conhecimento da definição de cada palavra, para o real entendimento e posterior diagnóstico consciencial. Listar sinônimos e antônimos também ajuda.
  • Técnica da identificação das insatisfações: escrever todos os sintomas que estão levando a pessoa a ficar insatisfeita, vislumbrando a posterior melhoria.
  • Técnica dos questionamentos: questionar-se continuamente com o intuito de qualificar a autopesquisa, identificar atributos, imaturidades e verificar como a pessoa funciona.
  • Técnica da checagem holossomática: checar a condição de cada um dos veículos de manifestação a fim de perceber sua real condição diante das situações. Ajuda a conscin a se perceber de uma maneira melhor.
  • Técnica da madrugada: essa técnica pode ajudar no desenvolvimento do autoconhecimento. Consiste em acordar no meio da noite – por exemplo as 3 da manhã – pegar folha em branco e escrever sobre as suas dúvidas sem reprimir qualquer tipo de idéia.

 Autodiagnóstico

  • Autodiagnóstico é a condição de auto-entendimento, autoconhecimento e autocompreensão, que ocorre quando a pessoa identifica sem dúvida o próprio mecanismo de funcionamento, o que precisa mudar e como produzir essa mudança.

 Auto-enfrentamento

Auto-enfrentamento é a ação daquilo que falta para sanar o problema.

  • Esforço pessoal: sem vontade, coragem, disciplina e auto-organização não ocorrem as mudanças. É nessa fase que a consciência arregaça as mangas e põe a mão na massa.
  • Técnica das pequenas ações: ninguém chega do 0 ao 100% da noite para o dia. O ideal é implantar pequenas e constantes ações, agindo no cotidiano de maneira mais sadia e criando novas sinapses que possibilitam o enfrentamento cada vez maior de novos desafios.
  • Técnica das rotinas úteis – hábitos saudáveis: aqui a consciência organiza-se de tal modo que, a partir da execução de suas rotinas, ela já começa a sentir melhora, mesmo que pequena. A palavra de ordem é organizar-se e começar a agir agora, faça chuva ou faça sol.
  • Técnica da chapa quente: procurar expor-se, intencionalmente, desdramatizando a dificuldade.
  • Técnica das evitações inteligentes: “O que não presta não presta mesmo” (Vieira, 1994). A técnica consiste em evitar locais, pessoas, pensamentos, sentimentos e energias que remetam ao comportamento ou traço que se pretende reciclar. A pessoa passa a agir de outra forma, eliminando as suas autocorrupções.

 Autossuperação

  • Momentos de checagem: checar constantemente suas ações, seus pensamentos, sentimentos e energias, tornando o seu processo de homeostase sustentável. A consciência tem um upgrade, age em novo patamar e se qualifica para novos desafios.
  • Continuísmo evolutivo: a manutenção é o processo que necessita de maior atenção. A atenção, inclusive, deve ser constante. Assim, a consciência alcança um bom nível de resolução com relação aos traços enfrentados, conseguindo uma auto-sustentação e fazendo da reciclagem uma rotina.

 Efeitos das reciclagens conscienciais no cotidiano

  • Aperfeiçoamento. Alteração para melhor das vidas intrafísica e extrafísica.
  • Autodomínio. Libertação muito maior da conscin dos problemas banais do dia a dia, surgindo razões racionais para se viver com alegria e plenitude de realização.
  • Desempenho. Intensificação da energização corporal, disposição física e motivação psicológica nos empreendimentos pessoais bem planificados.
  • Desempenho. Obtenção de melhor rendimento afetivo e intelectual.
  • Hiperacuidade. Eliminação na consciência, tornada mais lúcida, da incidência de frequentes surtos de imaturidade.
  • Holocarmalidade. Melhoria do saldo da conta corrente holocármica.
  • Holomaturidade. Alcance pela personalidade, muito mais depressa, da condição da maturidade consciencial integrada ou holomaturidade.
  • Intermissão. Predisposição a um melhor curso intermissivo à frente, com possibilidades maiores de planificar a próxima existência intrafísica.
  • Liberdade. Aumento da liberdade de ação da conscin em todas as suas manifestações, na condição de microuniverso multidimensional lúcido (desrepressão).
  • Parapsiquismo. Abertura e ampliação das parapercepções energéticas, anímicas e parapsíquicas.
  • PCs. Dinamização das PCs, ou projeções conscienciais lúcidas de alto nível.
  • Trinômio. Adaptação do ego à fórmula ideal de sobrevivência humana que conjuga a motivação, o trabalho profissional e o lazer em um só contexto integrado.

http://www.assipec.org/site/index.php?option=com_content&view=article&id=110%3Arenovacoes-pessoais&catid=50%3Atextos-das-palestras&Itemid=143