Prioridades na Sua Vida Intrafísica

Prioridade

Listagem. Eis uma listagem através de perguntas, em ordem lógica, de 18 prioridades essenciais à existência holochacral de minha e sua consciência intrafísica (conscin), segundo os princípios da Conscienciologia e Projeciologia:

  1. Oxigênio. Mantenho, ininterruptamente, minhas inspirações vitais de oxigênio em ambiente troposférico sem excessiva poluição?
  2. Líquidos. Tomo líquidos nutrientes, diariamente, na manutenção do meu corpo de água, o soma, na troposfera deste planeta também de água, a Terra?
  3. Sólidos. Tenho, pelo menos, uma refeição de alimentos sólidos a cada dia?
  4. Fisiologia. Atendo naturalmente a todas às necessidades fisiológicas diárias?
  5. Higiene. Observo permanentemente a minha higiene somática e pensênica?
  6. Sexo. Sigo a biologia humana, através do desempenho diário de minha sexualidade ativa, para ficar livre da carência afetivo-sexual?
  7. Exercícios. Exercito-me fisicamente, com regularidade, a fim de prevenir-me contra o sedentarismo, a inatividade e a desmotivação alienante?
  8. EV. Instalo o estado vibracional (EV) profilático quando quero, a qualquer momento, objetivando manter-me energeticamente compensado?
  9. Profissão. Exerço um trabalho de subsistência econômico-financeira para afastar todo parasitismo interpessoal, grupal ou social?
  10. Discernimento. Coloco o meu discernimento acima de todos os meus talentos, minha boa intenção e minha vontade?
  11. Cultura. Amplio e aprofundo os meus conhecimentos dentro de uma cultura pessoal, desrepressora, interdisciplinar, generalista, planificada?
  12. Parapsiquismo. Reeduco-me quanto às minhas ECs, ou energias conscienciais, aos fenômenos anímicos e aos fenômenos parapsíquicos em geral?
  13. PCs. Produzo projeções conscienciais lúcidas no aproveitamento possível de horas inevitáveis de repouso compulsório do meu soma?
  14. Assistência. Esforço-me para obter a condição, deliberada, de isca intra e extrafísica, energética, assistencial e autoconsciente, em favor de outras consciências?
  15. Tares. Coopero, assistencialmente, com outras consciências através da tarefa multidimensional, sofisticada, do esclarecimento (tares)?
  16. Conduta. Busco princípios pessoais maduros para viver, na qualidade de ser social dentro de uma conduto cosmoética aberta?
  17. Proéxis. Cumpro, pouco a pouco, o meu programa para esta existência intrafísica (proéxis) estabelecido antes do meu atual renascimento humano?
  18. Serenismo. Organizo-me, hoje, objetivando alcançar a condição magna do serenismo consciencial no futuro possível, sendo primeiro um epicon lúcido e, logo depois, uma ser desperto?

A autoconscientização multidimensional (AM) cria o amor perene.

Fonte: VIEIRA, Waldo; 700 Experimentos da Conscienciologia; 1.058 p.; 700 caps.; 147 abrevs.; 600 enus.; 8 índices; 2 tabs.; 300 testes; glos. 280 termos; 5.116 refs.; alf.; geo.; ono.; 28,5 x 21,5 x 7 cm; enc.; Instituto Internacional de Projeciologia; Rio de Janeiro, RJ; 1994; página 567.
Anúncios

Renovações Pessoais

PALESTRA PÚBLICA

TEMA: RENOVAÇÕES PESSOAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DOS TRAÇOS-FORÇA DA CONSCIÊNCIA

Autora: Adriane Corrêa

Renovação

Renovações Pessoais: a importância da mudança

Evolução significa movimento. Para que a consciência evolua, cresça, é mister que ela passe por mudanças. Mudar significa passar de um estado para outro, de uma condição para outra, da situação atual para outra desejada. Porém, mudar não é fácil. Somos consciências multimilenares e possuímos traços favoráveis e desfavoráveis para a nossa evolução. O objetivo desta pesquisa é propor uma reflexão sobre os traços fortes da consciência, por intermédio da autopesquisa, e apresentar técnicas no intuito de facilitar as renovações pessoais. Reciclar exige trabalho para incrementar com teática novos mecanismos de funcionamento, não se devendo achar que existe “mágica” para produzir a reciclagem existencial.

 O que é reciclagem existencial e reciclagem intraconsciencial

  • Reciclagem existencial é a técnica conscienciológica que objetiva a mudança para melhor de todo o curso e perspectiva da vida humana do reciclante, motivado a adotar novo conjunto de valores ante a vida e todos os princípios conscienciais multidimensionais.
  • Sinonimia: Mudanças pró-evolutivas, recéxis, renovação consciencial, reperspectivação existencial, virada de mesa.
  • Antonimia: mimese dispensável, repetições inúteis, acomodação, acrasia, preguiça, perda de tempo e de oportunidades, robéxis.
  • Reciclagem intraconsciencial é a renovação cerebral através da criação de novas sinapses ou conexões interneuroniais capazes de permitir a aquisição de novas idéias, auxiliando na reestruturação da forma de pensar, sentir, agir e reagir.

 Exemplos de reciclagens conscienciais

As mudanças ocorrem nas nossas vidas diuturnamente. Nosso corpo físico muda continuamente, queiramos ou não. Podemos mudar várias coisas: o cabelo, o emprego, o namorado, o carro etc. Nosso enfoque nesta pesquisa será na mudança de comportamento, na renovação para melhor dos traços da consciência, nos atributos conscienciais, no upgrade gerado pela reciclagem.

  Perguntas  e respostas sobre a reciclagem

1. Quem pode executar a recéxis? A conscin já comprometida com interesses humanos definidos e que anseia mudar-se para melhor.

2. Quando pode-se abraçar o processo da recéxis? Quando seja possível, quanto antes melhor.

3. Por que se desenvolve hoje a recéxis? Porque as conscins, estando mais lúcidas e saturadas tão-só das rotinas humanas, anseiam alcançar a condição da desperticidade e, depois, do serenismo.

4. Qual a vantagem de se executar a recéxis? Alcançar a expansão satisfatória da proéxis.

 Crises de crescimento e crises de sofrimento

  • Crise de crescimento é a condição específica de conflito íntimo vivenciado pela consciência, capaz de oportunizar novas posturas, atitudes proativas, reciclagens existenciais e reciclagens intraconscienciais.
  • Crise de sofrimento é o estresse doentio gerado pelo momento difícil vivido pela consciência, que por imaturidade, não enxerga através da crise, oportunidade de crescimento, utilizando-a enquanto instrumento de mudanças.

O ideal é antecipar as crises de crescimento. Não é evolutivo viver na inércia.

Você tem desafios, hoje, na sua vida?

 Os traços força, traços fardo e traços faltantes da consciência.

TRAFOR – traço-força da consciência, alavancador da evolução pessoal, facilitador evolutivo, qualidades.

TRAFAR: traço-fardo da consciência, fissura consciencial, dificuldade evolutiva, defeitos.

TRAFAL: traço faltante na personalidade da consciência, trafor a ser adquirido.

 O trinômio autevolutivo: eliminação de trafar – aquisição de trafal – fixação de trafor.

Esse trinômio encontra-se no verbete Trafor Consequente (Especialidade Traforologia) da Enciclopédia da Conscienciologia e é a base do presente estudo. Visa à construção de um perfil autevolutivo mais eficiente e assistencial por meio da reciclagem.

 Fatores atravancadores da reciclagem

  • Síndrome de Gabriela: Nos anos 70 a Rede Globo exibiu uma novela, cuja protagonista era chamada Gabriela, interpretada pela atriz Sonia Braga, cuja música tema, cantada por Maria Bethania, tinha em sua letra o seguinte refrão: “… eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim, Gabriela, sempre Gabriela… Assim, a síndrome de Gabriela é um comportamento que se manifesta pela atitude de recusa à mudança e resistência aquilo que é novo ou diferente dos padrões pré-estabelecidos.
  • Medo: muitas vezes as pessoas fogem das mudanças por causa do medo. O medo de dar errado, o medo de não conseguir, o medo de se frustrar, o medo de arriscar, o medo do ridículo, o medo de não ser aceito, o medo de sentir medo.
  • Decidofobia: medo de decidir, preferir ficar na zona de conforto. Viver a vida como aquela música do Zeca Pagodinho: “deixa a vida me levar, vida leva eu…”
  • Procrastinação: empurrar com a barriga, deixar para amanhã, não agir, não tomar decisões.
  • Ganhos secundários: em geral existe algum ganho que a pessoa não quer abrir mão, e que a impede de mudar.
  • Gargalos evolutivos: todos esses fatores impeditivos da renovação são considerados verdadeiros gargalos evolutivos, que uma vez superados colocam a consciência em um novo patamar, pronta para novos desafios.

Há conscins que não querem mudança de coisa alguma, nem de si mesmas

(Vieira, 700 Experimentos, p. 688)

 Qual o meu nível de recexibilidade?

(Vieira, 700 Experimentos, p. 685)

 Como executar a reciclagem?

Através da vontade, da disciplina e da reprogramação existencial com bases nos princípios da Conscienciologia, pela utilização de técnicas.

Apresentamos a seguir as quatro fases da Consciencioterapia.

 Autopesquisa – autoinvestigação

A autopesquisa é a base do autoconhecimento é a megaferramenta e o megadesafio de toda consciência lúcida quanto à sua evolução.

Trabalhar a autopesquisa de forma técnica: importância do comprometimento e da aplicação de técnicas que vão ajudar a pessoa a fazer o autodiagnóstico.

 Técnicas:

  • Identificação de trafores, trafares e trafais elaboração de uma lista contendo trafores, trafares e trafais. Vale a pena pedir para amigos, inimigos, familiares, colegas de trabalho para fornecerem listagem com nossos traços, sempre usando auto-crítica na avaliação.
  • Técnica dos dicionários, sinônimo e antônimo: é muito importante o conhecimento da definição de cada palavra, para o real entendimento e posterior diagnóstico consciencial. Listar sinônimos e antônimos também ajuda.
  • Técnica da identificação das insatisfações: escrever todos os sintomas que estão levando a pessoa a ficar insatisfeita, vislumbrando a posterior melhoria.
  • Técnica dos questionamentos: questionar-se continuamente com o intuito de qualificar a autopesquisa, identificar atributos, imaturidades e verificar como a pessoa funciona.
  • Técnica da checagem holossomática: checar a condição de cada um dos veículos de manifestação a fim de perceber sua real condição diante das situações. Ajuda a conscin a se perceber de uma maneira melhor.
  • Técnica da madrugada: essa técnica pode ajudar no desenvolvimento do autoconhecimento. Consiste em acordar no meio da noite – por exemplo as 3 da manhã – pegar folha em branco e escrever sobre as suas dúvidas sem reprimir qualquer tipo de idéia.

 Autodiagnóstico

  • Autodiagnóstico é a condição de auto-entendimento, autoconhecimento e autocompreensão, que ocorre quando a pessoa identifica sem dúvida o próprio mecanismo de funcionamento, o que precisa mudar e como produzir essa mudança.

 Auto-enfrentamento

Auto-enfrentamento é a ação daquilo que falta para sanar o problema.

  • Esforço pessoal: sem vontade, coragem, disciplina e auto-organização não ocorrem as mudanças. É nessa fase que a consciência arregaça as mangas e põe a mão na massa.
  • Técnica das pequenas ações: ninguém chega do 0 ao 100% da noite para o dia. O ideal é implantar pequenas e constantes ações, agindo no cotidiano de maneira mais sadia e criando novas sinapses que possibilitam o enfrentamento cada vez maior de novos desafios.
  • Técnica das rotinas úteis – hábitos saudáveis: aqui a consciência organiza-se de tal modo que, a partir da execução de suas rotinas, ela já começa a sentir melhora, mesmo que pequena. A palavra de ordem é organizar-se e começar a agir agora, faça chuva ou faça sol.
  • Técnica da chapa quente: procurar expor-se, intencionalmente, desdramatizando a dificuldade.
  • Técnica das evitações inteligentes: “O que não presta não presta mesmo” (Vieira, 1994). A técnica consiste em evitar locais, pessoas, pensamentos, sentimentos e energias que remetam ao comportamento ou traço que se pretende reciclar. A pessoa passa a agir de outra forma, eliminando as suas autocorrupções.

 Autossuperação

  • Momentos de checagem: checar constantemente suas ações, seus pensamentos, sentimentos e energias, tornando o seu processo de homeostase sustentável. A consciência tem um upgrade, age em novo patamar e se qualifica para novos desafios.
  • Continuísmo evolutivo: a manutenção é o processo que necessita de maior atenção. A atenção, inclusive, deve ser constante. Assim, a consciência alcança um bom nível de resolução com relação aos traços enfrentados, conseguindo uma auto-sustentação e fazendo da reciclagem uma rotina.

 Efeitos das reciclagens conscienciais no cotidiano

  • Aperfeiçoamento. Alteração para melhor das vidas intrafísica e extrafísica.
  • Autodomínio. Libertação muito maior da conscin dos problemas banais do dia a dia, surgindo razões racionais para se viver com alegria e plenitude de realização.
  • Desempenho. Intensificação da energização corporal, disposição física e motivação psicológica nos empreendimentos pessoais bem planificados.
  • Desempenho. Obtenção de melhor rendimento afetivo e intelectual.
  • Hiperacuidade. Eliminação na consciência, tornada mais lúcida, da incidência de frequentes surtos de imaturidade.
  • Holocarmalidade. Melhoria do saldo da conta corrente holocármica.
  • Holomaturidade. Alcance pela personalidade, muito mais depressa, da condição da maturidade consciencial integrada ou holomaturidade.
  • Intermissão. Predisposição a um melhor curso intermissivo à frente, com possibilidades maiores de planificar a próxima existência intrafísica.
  • Liberdade. Aumento da liberdade de ação da conscin em todas as suas manifestações, na condição de microuniverso multidimensional lúcido (desrepressão).
  • Parapsiquismo. Abertura e ampliação das parapercepções energéticas, anímicas e parapsíquicas.
  • PCs. Dinamização das PCs, ou projeções conscienciais lúcidas de alto nível.
  • Trinômio. Adaptação do ego à fórmula ideal de sobrevivência humana que conjuga a motivação, o trabalho profissional e o lazer em um só contexto integrado.

http://www.assipec.org/site/index.php?option=com_content&view=article&id=110%3Arenovacoes-pessoais&catid=50%3Atextos-das-palestras&Itemid=143

Drogadição e Invéxis

Autor: Amaral, Flávio

Drogas

Se a conscin é realista durante a opção pela invéxis, a opção contrária às drogas já é pacífica e superada. 

Contudo, vale o estudo exaustivo do assunto, notadamente por parte do professor de Invexologia, para explicitação e ganchos argumentativos, durante as aulas aonde há predomínio do público jovem.

Eis 28 argumentos, dentre inúmeros outros, na ordem alfabética, obviamente contrários ao holopensene da drogadição, narcomania ou toxicomania:

1.  Autoengano. Todo drogadito autoengana-se.

2.  Bom senso. A rigor, o discernimento não chegou para quem acredita em “consumo com moderação” (falácia do bom senso).

3.  Desconfiômetro. A conscin lúcida aplica o desconfiômetro até para substâncias legais (cafeína, chimarrão, energéticos, medicamentos).

4.  Escolaridade.  Quem nunca teve aquele colega brilhante que jogou os estudos no buraco, em poucos meses, a partir do contato com as drogas? O jovem atento vê o efeito dos tóxicos com os próprios companheiros do colégio.

5.  Experiência. Experiência de vida não é ter experimentado esta ou aquela droga, e sim, atravessar a adolescência livre e sem interesse nestas substâncias. 

6.  Fumaça. Fumaça é ar poluído, inclusive a do incenso. 

7.  Fumo. Fumar é deixar a massa cinzenta dos pulmões guiar a massa cinzenta cerebral.

8.  Hipocrisia. O drogado culpa “hipocrisias sociais”, mas é o primeiro a cometer hipocrisias: mente para si, quando pensa que é “usuário consciente”. É também o último a admitir-se viciado. 

9.  Holanda. A Holanda começa a rever sua política de permissividade quanto à maconha e alucinógenos, ao perceber que as leis mais brandas aumentaram o narcotráfico, ao contrário do esperado.

10.  Isenção. Não ter vontade para consumir determinada substância, dá maior isen¬ção para falar da mesma. 

11.  Juventude. Se a pessoa não foi atraída às drogas na juventude, as chances de tornar-se adulto usuário são muito menores. As empresas de cigarro e bebidas sabem disso e deixam claro nas publicidades comerciais, invariavelmente voltada aos jovens.

12.  Legalização. As campanhas pró-legalização furtam-se de discutir os efeitos dos tóxicos sobre a saúde. Preferem desenvolver acrobacias mentais para acabar com as políticas atuais, funcionantes, embora parcialmente.

13.  Megaproblema.  Educação, saúde e segurança são, de longe, problemas prioritários de qualquer sociedade. As drogas são o “pacote 3 em 1” dos males sociais, atentando diretamente contra estas sérias questões. Alguém vai defender o uso de drogas para tornar a sociedade mais educada, saudável e segura?

14.  Paliativo. Muitas campanhas de “redução de danos” podem bem ser chamadas de “use drogas com dignidade” ou, “aqui você pode se drogar sem sofrer preconceitos”.

15.  Panfletos. Associações de redução de danos distribuem panfletos e materiais informando como usar drogas de maneira “menos nociva”, até com verbas públicas. Em outras palavras: os narcotraficantes vendem as drogas, e as instituições, em parceria com o Poder Público, distribuem os manuais de instrução.

16.  Parapsiquismo.  Com a sensibilidade paraperceptiva a conscin percebe os efeitos nocivos das drogas através da assimilação energética, sem precisar experimentá-las. Quem desenvolve a sinalética energética não deseja envolver-se com o holopensene dos tóxicos.

17.  Personalidades. Personalidades públicas tentam pressionar pela legalização da maconha, para poderem fumar sem “sujar o próprio nome”.

18.  Posicionamento. Droga não presta. Sem este posicionamento, não adianta delongar-se em outros.

19.  Profilaxia. Quem é ex-viciado passa a vida lutando para manter-se livre das drogas. A única cura segura contra a dependência às drogas é a profilaxia de não experimentar. 

20.  Recéxis. Quem usa drogas não pode dizer que perdeu a invéxis. Passou longe dela. A luta do ex-usuário para permanecer “limpo” indica o predomínio da recéxis sobre a invéxis na vida pessoal.

21.  Revistas. Certas revistas para público jovem, enquanto deveriam servir de alerta, são banalizadoras e flexibilizadoras do modo de vida pró-drogadição, por exemplo, com posicionamentos não-conclusivos, exaltação de ídolos mortos por tóxicos, e o “barato” apresentado como algo bom.

22  Socialização.  Hoje, o rapaz mostra a nova droga à pré-adolescente, para impressioná-la. Amanhã, a mesma moça procura abrigo para fugir do marido alcoólatra. Conclusão: as drogas não servem para socializar. Quem apresenta droga a outro não pode se dizer “amigo”. 

23.  Suíça. A Suíça sofreu após criar áreas de “consumo assistido” de LSD e outras drogas. A criminalidade e a degradação explodiram nos bairros circunvizinhos, além do estímulo do “narcoturismo” no País.

24.  Tabagismo. As multinacionais do tabaco já estão de olho nas campanhas para legalizar a maconha, pois são alternativas de negócios às ofensivas públicas mundiais contra o cigarro comum.

25.  Traficante. Antes, o problema eram os traficantes disfarçados a vender drogas na porta da escola. Hoje, o traficante é o próprio aluno, filho de família. 

26.  Vício. O usuário erra quando pensa que viciado é quem quer parar e não consegue. Vício é agir para atender a um mau hábito.

27.  Vida Urbana. A escalada das drogas ocorre ao ar livre, aos olhos de todos, da cerveja ao cigarro, à vodca, ao arguile, à maconha, ao ecstasy.Quando chega na cocaína é muito tarde, pois o jovem já foi entupido e atraído para os tóxicos.

28.  Vinho. Quem defende o cálice de vinho para o coração, ao invés de promover o suco de uva, e as frutas em geral, ainda possui interesse espúrio, afinal, tenta promover um bem inferior, com efeitos colaterais, no lugar do bem superior.

Qual a sua opinião sobre as drogas?

http://www.assinvexis.org/artigos/drogadicao.php

O que é a Conscienciologia?

Perguntas Frequentes

 O que é a Conscienciologia?

A Conscienciologia é a ciência dedicada ao estudo da consciência “inteira”, constituída por todos os seus corpos (holossoma), atuando a partir de diversas dimensões (multidimensionalidade), considerando as suas múltiplas existências (multiexistencialidade), sob influência das energias (bioenergias) e das manifestações parapsíquicas (parapsiquismo). A Conscienciologia foi proposta publicamente em 1986 pelo médico e pesquisador Waldo Vieira, no livro  Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano, e ratificada com a publicação do tratado 700 Experimentos da Conscienciologia, em 1994.

O que é a consciência?

A consciência também pode ser denominada de ego, essência, individualidade, personalidade, sujeito, pessoa, self, ser, sujeito, dentre outros. Eu, você e todos os seres autoconscientes são consciências. Há consciências manifestando-se nesta dimensão física, através do corpo humano. Há também consciências manifestando-se em dimensões não-físicas (extrafísicas) através de outros corpos mais sutis e sofisticados.

A consciência é fruto do corpo biológico? Ela se extingue com a morte?

Não. Segundo a Conscienciologia, a consciência não é o corpo humano e tampouco é um subproduto da atividade cerebral. A consciência utiliza o corpo biológico na condição de veículo ou instrumento para ela se manifestar na dimensão material. A consciência pode existir independente do corpo humano e além vida humana. A sua consciência existiu antes de você nascer neste atual corpo biológico, de homem ou mulher, e continuará existindo após o descarte e desativação deste corpo. Além disso, a sua consciência pode sair temporariamente do corpo humano através de um fenômeno conhecido por projeção da consciência ou experiência fora-do-corpo. Este fenômeno é estudado pela Projeciologia, uma das especialidades da Conscienciologia.

O que é a Projeciologia?

A Projeciologia é a especialidade da Conscienciologia dedicada ao estudo das projeções conscienciais ou saídas lúcidas da consciência para fora do corpo, e seus efeitos. Você pode projetar a sua consciência para fora dos limites de seu corpo humano e também pode projetar as suas energias conscienciais. Estas possibilidades são inerentes à natureza de todas as pessoas e representam uma fonte inesgotável de esclarecimentos sobre os mais importantes problemas da vida, elucidando-nos sobre quem somos, de onde viemos, para onde vamos e o que estamos fazendo aqui.

Como acontece a projeção da consciência?

Através da descoincidência do holossoma. Durante a vigília física ordinária os corpos estão encaixados uns nos outros, mantendo o foco da consciência no corpo biológico e em toda a vida humana. Pela vontade firme, através de técnicas específicas e até mesmo durante o sonoqualquer pessoa pode “desencaixar” temporariamente estes corpos fazendo com que a consciência se manifeste em outras dimensões. Há fenômenos parapsíquicos transcendentes decorrentes desta descoincidência que também são investigados pela Projeciologia, por exemplo: clarividência, retrocognições, precognições, ectoplasmia, telepatia, psicografia, dentre muitos outros.

O que é holossoma?

O prefixo Holo, do grego, significa “todo, conjunto”. O sufixo Soma, também do grego, significa “corpo.” O holossoma é o conjunto de corpos ou veículos de manifestação da consciência. O corpo mais denso e rudimentar que a consciência utiliza é o corpo humano, denominado de soma. Existe outro corpo mais sutil denominado  psicossoma, também conhecido por perispírito, alma, corpo astral ou fantasma. E existe um corpo mais sofisticado e transcendente conhecido por  mentalsoma, ou corpo mental. Ele é a sede de nosso discernimento, de nossa memória integral e dos atributos conscienciais mais avançados. Além destes 3 corpos existe o energossoma, também conhecido por  holochacra, corpo energético ou duplo-etérico, responsável por vitalizar o nosso corpo humano. O corpo energético relaciona-se com a aura humana os chacras e a sensibilidade parapsíquica das pessoas em relação a objetos, lugares e outros indivíduos.

O que é multidimensionalidade?

É a condição na qual a consciência é capaz de manifestar-se em múltiplas dimensões através do holossoma. Portanto, existe a dimensão intrafísica, material, densa onde a consciência atua a partir do soma. Existem também infinitos gradientes de dimensões extrafísicas, nas quais a consciência manifesta-se através do psicossoma e do mentalsoma. Há também a dimener, ou dimensão energética, onde se desenvolvem os fenômenos e as ocorrências da vida energética a partir do energossoma. O desafio da Conscienciologia não é apenas estudar teoricamente tais dimensões, mais conhecê-las na prática e desta forma ampliar a lucidez quanto à multidimensionalidade, o que se denomina de Autoconscientização Multidimensional (AM).

O que é multiexistencialidade?

Multiexistencialidade é o termo que designa a multiplicidade de vidas ou  serialidade de existências as quais a consciência já viveu no passado e continuará vivendo no futuro, dentro do  Ciclo Multiexistencial Pessoal. Entre uma vida humana e outra a consciência passa pelo chamado período intermissivo ou  intermissão quando retorna a sua verdadeira procedência ou origem: a dimensão extrafísica. Desta forma, a consciência alterna períodos extrafísicos com períodos intrafísicos. Portanto, a consciência pode estar na condição de conscin, ou consciência intrafísica ou na condição de consciex, ou consciência extrafísica.

O que são bioenergias?        

As bioenergias são as energias que emanam de todos os seres vivos e os vitalizam. Toda pessoa possui ao seu redor um campo de energia denominado corpo energético ou energossoma. As plantas, o solo, a água, a atmosfera também possuem padrões específicos de energias. Vivemos uma existência energética, ou seja, todos os contatos, trocas ou interações que realizamos com outras pessoas, com objetos e com o mundo de modo geral envolvem trocas energéticas. Recebemos e doamos energias a todo instante. Existem padrões de energias mais sadios e outros mais doentios. A pessoa pode identificar, dominar e empregar suas energias para otimizar sua vida, fortalecer sua saúde física e mental e abrir desenvolver o seu parapsiquismo.

O que é parapsiquismo?

O parapsiquismo é o conjunto das parapercepções avançadas da consciência, além dos 5 sentidos básicos do corpo humano. O parapsiquismo é uma habilidade inerente a todo indivíduo e pode ser aprimorada de modo racional, livre de quaisquer conotações religiosas ou de iniciações místicas. O desenvolvimento lúcido do parapsiquismo possibilita a compreensão integral do que vem a ser a consciência e permite a vivência do paradigma consciencial proposto pela Conscienciologia.

O que é Paradigma Consciencial?

O estudo destas realidades transcendentes acerca da consciência exige a criação de um novo modelo ou paradigma capaz de abranger e explicar a complexidade das manifestações conscienciais. O paradigma consciencial propõe uma nova forma de interpretar os fatos e apontar o direcionamento mais apropriado para as pesquisas da Conscienciologia. A partir do paradigma consciencial a própria consciência (eu, você, todos nós) estuda a si mesma (objeto de estudo). Neste modelo, a própria consciência passa a investigar, anatomizar e conhecer o seu microuniverso consciencial. Pelo paradigma consciencial o pesquisador e objeto pesquisado constituem um único elemento. Este processo, conhecido como autopesquisa, leva inevitavelmente ao autoconhecimento e ao amadurecimento da própria consciência-pesquisadora. O paradigma consciencial assenta-se nas premissas da multidimensionalidade, multiexistencialidade,  holossomática e bioenergética.

Como se pode provar todas estas ideias?

Através da auto-experimentação direta. O fundamento essencial da Conscienciologia é o princípio da descrença: “Não acredite em nada, nem mesmo no que lhe informarem aqui. Experimente. Tenha as suas experiências pessoais.” Portanto, o ideal é a pessoa avaliar toda informação com senso crítico e reflexão, buscando confirmar ou não os conhecimentos propostos com base em suas experiências. Neste exercício, devem-se excluir dogmas científicos, filosóficos, ideológicos ou religiosos que possam obstruir a liberdade necessária para a compreensão das chamadas verdades relativas de ponta. Assim, a melhor evidência é aquela obtida pela convicção pessoal advinda de experimentos promovidos pela própria pessoa motivada e com senso científico.

 O que são as verdades relativas de ponta?

Também conhecidas por verpons, as verdades relativas de ponta são as realidades mais importantes, novas ou prioritárias que vale a pena serem estudadas, discutidas, colocadas à frente de outras da mesma linha de pesquisa e, por fim refutadas. Não existem verdades absolutas. Tudo se modifica e tende a evoluir, inclusive a nossa concepção acerca do mundo, da vida e sobre o significado de nossa própria consciência. A Conscienciologia não busca impor nenhuma verdade, mas apenas informar os resultados de suas investigações aos interessados. O princípio da descrença é o slogan das Instituições Conscienciocêntricas.

O que são as Instituições Conscienciocêntricas?

Atualmente existem 17 instituições, com sedes em diversas capitais do Brasil e no Exterior, dedicadas ao estudo e a pesquisa da Conscienciologia. As Instituições Conscienciocêntricas (ou ICs) visam disponibilizar estes conhecimentos, de modo teórico e prático, a qualquer pessoa interessada, por meios de diversificada literatura, atividades pedagógicas, técnicas e recursos para promoção da autopesquisa conscienciológica. As ICs reúnem centenas de profissionais de diferentes áreas que se dedicam, através do trabalho voluntário, à gestão, ensino e pesquisa da Conscienciologia. O conjunto das instituições, campus, projetos, voluntários, pesquisadores, professores e alunos constitui a Comunidade Conscienciológica Cosmoética Internacional (CCCI).

 O que é o CEAEC?

O CEAEC, Centro de Altos Estudos da Conscienciologia, é uma das 17 Instituições Conscienciocêntricas dedicada ao ensino e pesquisa da ciência Conscienciologia. Localizado no Bairro Cognópolis na cidade de Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil o CEAEC foi fundado em 1995 e é o primeiro campus da Conscienciologia. Trata-se de uma organização mantida por voluntários, sem fins lucrativos, não-governamental, apartidária e não-religiosa. O CEAEC promove cursos e eventos aos interessados no estudo da consciência integral e acolhe o Tertuliarium onde diariamente ocorrem as Tertúlias Conscienciológicas.

O que é a Tertúlia Conscienciológica?

A Tertúlia Conscienciológica é o curso de longo curso, gratuito, diário, sem pré-requisito, ministrado pelo prof. Waldo Vieira no qual são apresentados e debatidos os verbetes em construção da Enciclopédia da Conscienciologia. Trata-se de uma reunião ou assembléia de pesquisadores afins, homens e mulheres, para debater temas do momento, inéditos, atuais, de interesse comum, teórico-práticos e avançados da Conscienciologia. As Tertúlias ocorrem diariamente, das 12:30 às 14:30 no Tertuliarium e também contam com a transmissão online.

O que é a Enciclopédia da Conscienciologia?

Considerada a obra mais completa sobre a consciência por abranger inúmeras facetas da personalidade, a Enciclopédia da Conscienciologia é o atual projeto desenvolvido pelo pesquisador Waldo Vieira e sua equipe multidisciplinar. Parte do trabalho de pesquisa é feito com base na análise crítica e exaustiva dos fatos do dia-a-dia veiculados pela mídia impressa, matéria prima que mostra a realidade da consciência. Instigante, o estilo do texto da Enciclopédia apresenta uma estrutura fundamentada na lógica, argumentação, associação de idéias e informação, incitando o leitor ao questionamento da sua realidade pessoal.  A Enciclopédia da Conscienciologia fornece amplos subsídios para os intermissivistas realizarem sua programação de vida ou  proéxis.

Quem são os intermissivistas?

Os intermissivistas são as pessoas, homens e mulheres, ex-alunos dos Cursos Intermissivos. Por sua vez, os Cursos Intermissivos são os conjuntos de disciplinas ensinadas durante o período intermissivo, ou seja, ministrados para a consciência extrafísicas maduras, lúcidas, antes de nascer. O objetivo dos Cursos Intermissivos é auxiliar a consciência a planejar minuciosamente a sua próxima vida humana e estabelecer as cláusulas da sua próxima programação de existencial, isto é, sua tarefa, missão ou programação existencial a ser cumprida aqui, na vida humana.

O que é a proéxis?

A proéxis é a programação existencial específica, de cada consciência humana em sua nova vida nesta dimensão física. Muitas vezes a pessoa tem uma noção íntima sobre algo a ser feito, uma tarefa a ser realizada em sua vida ou um senso de responsabilidade perante a humanidade. O importante é a pessoa pesquisar a si própria para identificar, recordar e fazer a convergência de esforços de sua vida para a execução de sua proéxis, visando atingir o completismo existencial (compléxis).

Como faço para saber mais sobre a Conscienciologia?

Participe das Tertúlias Conscienciológicas online. Envie suas perguntas. Acesse os verbetes ou temas da Enciclopédia disponíveis no site das Tertúlias. Estude, leia, aprofunde seus conhecimentos sobre o assunto. Navegue nos sites das Instituições Conscienciocêntricas e informe-se sobre a programação de atividades mais próximas de você.