O que posso fazer hoje para melhorar o meu futuro?

Tudo acontece sem obedecer a nenhuma regra ou tudo já está predeterminado? Se tudo for obra do acaso o sucesso profissional dependeria da sorte, não adiantaria se esforçar

As pessoas, em geral, vivem com a esperança de um dia melhor no amanhã. Por isso, se esforçam e procuram se aprimorar fazendo cursos, lendo, adquirindo novos conhecimentos. Isso significa que não acreditam que o destino está predeterminado e acreditam que as suas ações podem influenciar no sucesso profissional.

Afinal, se tudo já está predeterminado e não pode ser modificado, não adiantaria se esforçar. O fato de esforçar ou não também estaria predeterminado. Os que se esforçam, embora possam parecer fazer por suas próprias iniciativas estariam só seguindo um roteiro pronto. Seria como uma máquina que segue uma programação.

Se não está predeterminado pode ser obra do acaso? Os fatos e acontecimentos acontecem sem obedecer a nenhuma regra? Se tudo for obra do acaso o sucesso profissional dependeria da sorte, não adiantaria se esforçar.

Resumindo, as pessoas se esforçam para conquistar o êxito profissional porque: a) não pensam que o futuro já está predeterminado; b) não acreditam que seja obra do acaso; c) acreditam que podem influir diretamente na construção do seu futuro.

Se podem influenciar é porque existe uma relação de casualidade no mundo. Existe uma lei de causa e efeito, ou seja, uma causa “x” provoca um resultado “y”. Um pensamento ou uma ideia leva a uma determinada ação que gera um resultado.

Vamos supor uma pessoa que está sentada numa sala de aula, num curso. Por que isto está acontecendo? É porque pensou, decidiu e se inscreveu para fazer o curso alguns dias atrás. O acontecimento atual é resultado do pensamento, da decisão. A causa é o pensamento inicial que levou à tomada da decisão de fazer o curso.

O dia de hoje ou acontecimentos atuais já estão traçados em função das decisões passadas. O dia de hoje da minha vida é como a leitura do jornal de hoje. Não existe jornal de hoje. O jornal de hoje só relata os acontecimentos de ontem. Da mesma forma, o dia de hoje da vida só retrata um resultado criado pelo pensamento ontem.

Qualquer ação, tentativa de mudar ou melhorar o dia de hoje é infrutífera. Não há como reescrever o jornal de hoje. Muitas pessoas não progridem na vida porque perdem tempo e energia tentando consertar o dia de hoje e ontem. Não fazem, não buscam nada diferente, inovador para ajudar na construção do dia de amanhã melhor.

O erro está em querer mudar o resultado. A única forma de alterar o resultado é mudando a causa. Se a causa está no pensamento, a única forma de mudar o resultado é mudando a forma de pensar. É preciso mudar o pensamento para conseguir resultado melhor. Só uma mudança interna muda a forma de pensar.

Desta forma é muito importante conhecer quais são as regras: o que cada pensamento pode gerar como resultado amanhã. Isto é conhecido como leis mentais. A principal é a lei de causa e efeito, conhecido também como lei do carma.

Carma é o estoque de pensamentos, ações passadas de uma pessoa que gera um determinado acontecimento semelhante no futuro. Quando acontecimentos negativos repetem na vida de uma pessoa significa que está atuando a mesma causa. Identificar e eliminar as causas são fundamentais para o êxito pessoal e profissional.

A grande maioria das pessoas não dão importância a estas leis. Pensam que é coisa de religião ou superstição. Se estudasse um pouco a ciência mental, sair desta bitola cega, ajudaria muito na realização de objetivos e sucesso profissional.

Na prática as leis mentais são aplicadas corporativamente com outra denominação: fé como confiança; darás e receberás como meritocracia. Transformaram as “leis religiosas” em regras: faça assim, dicas, formas, maneiras e por aí vai. O grande problema é que não explicam o fundamento, falta entender o conceito.

Sem entender o fundamento não acontece a mudança interior da pessoa. Regras, conselhos, dicas não modificam a pessoa internamente. Podem achar interessante, pensar em seguir os conselhos. Não dura mais do que uma semana. É só fogo de palha, queima rapidamente, o entusiasmo acaba num instante e tudo fica como está.

[Editado] Link

Anúncios

10 Dicas para Acabar com a PREGUIÇA

A preguiça nada mais é do que uma indisposição que uma pessoa tem, de executar qualquer atividade que exija força física ou mental, ou seja, é uma aversão as tarefas dos universos tangíveis e não tangíveis existentes. Em outros termos, é ter dificuldades em realizar uma função, atuando de forma negligente e pausadamente por conta da indolência existente no ser que possui esse tipo de característica.

A criatura que ostenta a ociosidade é sempre passível de desdém por parte dos outros, haja vista, que ninguém aprecia pessoas apáticas e inativas, pois, o que o mundo exige de nós é determinação, labor e principalmente, disposição.

Thomas Atkinson, sabiamente disse: “Vencer a preguiça é a primeira coisa que o homem deve procurar, se quiser ser dono do seu destino.”

Desta maneira, elaborei 10 dicas para que possamos ser mais ativos em nossa vida e consequentemente possamos eliminar essa característica humana desagradável e prejudicial a todos nós, confira:

1 – Faça uma atividade física: exercitar seu corpo, o ajudará a ter mais disposição em seu dia a dia, além de ser um combustível para aliviar o estresse, dando a sua mente um estado de paz e serenidade. É importante frisar, que você deve buscar executar uma atividade física que seja de seu agrado, pois, você não se sentirá feliz, fazendo uma coisa que não gosta.  Desta forma, busque identificar suas áreas de interesse e após isso, invista seu tempo nesta questão. Observe as pessoas a sua volta e perceba que as mais bem humoradas e de bem com a vida são exatamente aquelas que praticam exercícios físicos constantemente.

2 – Estabeleça metas: faça um planejamento minucioso de como irá atingir seus objetivos e implemente os meios necessários para alcança-los, estabelecendo prazos para começar e finalizar. É importante que você tenha disciplina, organização e controle, para que você possa cumprir as etapas de forma gradual e, principalmente, sem deixar que o objetivo final seja desviado. Ao fazer isso, você freará a ansiedade e a insegurança, gerando um efeito estimulante em sua vida.

3 – Tenha uma boa noite de sono: sua mente e corpo precisam recuperar as energias, de modo que sejam revigorados e massageados das constantes pressões cotidianas. Desta maneira, busque dormir oito horas diárias e tenha uma rotina de horários regular, ou seja, não durma meia-noite em um dia, e duas horas da manhã em outro, haja vista, que seu tempo de sono deve ser constante para que sua mente se acostume com esse padrão, facilitando a recuperação de suas forças.

4 – Cuide de sua alimentação: é importante procurar um nutricionista para que ele oriente você sobre alguns alimentos que poderão lhe dar mais energia em seu dia. Destarte, ele poderá, com base em sua rotina, elaborar uma alimentação específica para que você possa ter mais entusiasmo e motivação em sua caminhada pessoal e profissional.

5 – Tenha atitude: algumas pessoas são preguiçosas exatamente por não agirem. Sendo assim, a inércia toma conta de seus corações e elas se transformam em seres indolentes e melancólicos, transformando suas vidas em uma espécie de omissão total. Deste modo, seja diferente e busque ter iniciativa: seja frequentando novos ambientes, ou, se predispondo a ajudar o próximo em alguma tarefa, ou, executando trabalhos que não necessariamente você deveria executar, ou, levantando mais cedo de vez em quando, enfim, procure ter ação ao invés de lentidão.

6 – Busque estar ao lado de pessoas motivadas: ficar ao lado de pessoas inertes e que possuem aversão à produtividade, é contaminar-se negativamente e trazer para si, muitos males. Portanto, procure se cercar de pessoas que sejam motivadas, entusiasmadas, bem humoradas e que tenham disposição para agir diante dos trabalhos a serem feitos, pois assim fazendo, você estará sendo incentivado a ser uma pessoa enérgica, e não o contrário.

7 – Pense positivamente: o pensamento positivo é um dos segredos para termos mais disposição, pois, nosso cérebro reconhece quando temos motivos para nos alegrar, nos entregando mais energia para podermos aproveitar essas oportunidades. Talvez seja por esse motivo, que James Allen tenha dito que: O Homem é aquilo que ele pensa.” Desta forma, sempre tenha otimismo, fazendo dos problemas sempre uma oportunidade de encontrar soluções, e das conquistas, motivos para infinitas comemorações.

8 – Elabore tarefas simples de serem executadas: a complexidade é algo que desmotiva qualquer ser humano, porquanto a mente humana tende a uma desistência natural ao visualizar um cenário de difícil desmembramento. Vou dar um exemplo simples: se você quer perder peso, você não conseguirá perder 10 KG em um dia, ou seja, terá que montar uma estratégia de perder esses 10 KG em um mês, e, portanto, terá que perdê-los aos poucos, dia a dia. Deste modo, terá que ir reduzindo suas calorias de forma gradual, acompanhando cada refeição, de modo a seguir o planejado à risca, evitando falhas.

E, assim como no exemplo da dieta, nossas atividades devem ser simplificadas para que possamos ter objetivos mais simples e fáceis de serem alcançados, gerando uma tranquilidade maior para nós.

9 – Interaja com as pessoas: interatuar com as pessoas nos ajuda a termos mais alegria e predisposição, transformando nossas mentes em objetos ativos. Por incrível que pareça, as pessoas tem o poder de nos transmitir energias poderosas, fazendo com que nos tornemos seres mais dispostos. Sendo assim, aprimore seus relacionamentos, trazendo mais pessoas para a sua teia social.

10 – Procure viver seus hobbies: reserve um tempo só para você e faça apenas coisas que te agradam, ou seja, se você gosta de filmes, vá ao cinema, ou, se você aprecia jogar futebol, combine uma partida com os amigos no fim de semana, ou, se você gosta de churrasco, vá à churrascaria, curta o momento, enfim, deixe você ter momentos de alegria, pois, são eles que mantém nossa felicidade e entusiasmo.

O mundo está recheado de gente preguiçosa e apática, comprometendo assim, a evolução da humanidade. Destarte, devemos fazer a antítese dessa massa, para que saibamos valorizar o que foi posto em nossas mãos e ao mesmo tempo, contribuirmos positivamente no futuro das próximas gerações.

Fonte

Atitudes que drenam energia

Atitudes que drenam energia

1 – Pensamentos obsessivos

Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos – mal comum ao homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.

2 – Sentimentos tóxicos

Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a autoestima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.

3 – Maus hábitos – Falta de cuidado com o corpo

Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.

4 – Fugir do presente

As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: “bons tempos aqueles!”, costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.

5 – Falta de perdão

Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica “energeticamente obeso”, carregando fardos passados.

6 – Mentira pessoal

Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.

7 – Viver a vida do outro

Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração.

8 – Bagunça e projetos inacabados

A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro “escape” de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe “diz” inconscientemente: “você não me terminou! Você não me terminou!” Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do autoconhecimento, da disciplina e da terminação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.

9 – Afastamento da natureza

A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.

(Autor Desconhecido)

Fonte

20 Mega-atributos Propulsores da Evolução

  1. Abertismo consciencial. (Autoconsciencialidade).

  2. Autoconscientização multidimensional (AM). (Projeciologia).

  3. Autodesassedialidade. (Despertologia).

  4. Autodiscernimento. (Discenimentologia).

  5. Autopesquisologia. (Experimentologia).

  6. Autorganização. (Logicidade).

  7. Cosmoética. (Código Pessoal de Cosmoética – CPC).

  8. Cosmovisão. (Interatividade).

  9. Domínio energético. (Energossomática).

  10. Ficha evolutiva pessoal. (FEP). (Holobiografia).

  11. Holomaturidade. (Cons). (Holomaturologia).

  12. Inteligência evolutiva. (Evoluciologia).

  13. Intencionalidade. (Intencionologia).

  14. Interassistencialidade. (Assistenciologia).

  15. Neofilia. (Recexologia).

  16. Policarmalidade. (Holocarmalogia).

  17. Princípio da descrença. (COC – Cético otimista cosmoético).

  18. Priorização. (Continuística).

  19. Retilinearidade autopensênica. (Homeostática).

  20. Vontade. (Voliciologia).

Fonte

Motivos para a RECÉXIS

Marta Ramiro, voluntária da Conscienciologia

Imagem

A realização da proéxis inevitavelmente traz mudança para melhor na vida do reciclante existencial, faz a consciência modificar-se, porque ela precisará romper com os vícios, trocar hábitos nocivos pelos salutares, abandonar a zona de conforto e dedicar-se às superações pessoais, que são inerentes ao processo evolutivo.

Para cada caso a ser realinhado, há uma técnica adequada, que não pode ser generalizada. Nos exemplos relacionados a seguir, parte foram vivenciados por mim e os outros foram observados de práticas alheias:

01. Autoassédio: é a condição do ser humano que se torna vítima de si mesmo, sentindo-se culpado ou deprimido por algum motivo sem importância; mas, amplamente valorizado por ele próprio. É portador de baixa autoestima, é medroso, é inseguro. É um sabotador de si mesmo.

Técnica sugerida: identificar e usar as qualidades pessoais desenvolvidas, sem negligenciar a modificar os próprios defeitos. Ninguém tem só defeitos, nem você, nem os outros. Além disso, você nunca perde quando intensifica a desassimilação das energias conscienciais antipáticas.

02. Belicismo: é a expressão de agressividade no modo de agir e ao falar, tem sempre pensamentos de vingança e justiça, está sempre pronto para combater o inimigo, reage de modo instintivo, irrita-se com facilidade e não leva desaforo para casa.

Técnica sugerida: agir ou interpretar a situação de outro modo, para interromper o automatismo, para acabar com a irritação. Por exemplo: evite brigar com quem é especialista em “rodar a baiana”, porque você perderá seu tempo, será vencido e não conseguirá ensinar nada de bom para ele. É claro que a situação mais adequada é o diálogo educado, o esclarecimento pontual para que o outro se conscientize da importância de abandonar para sempre as armas. A alteração para melhor das próprias intenções, associada às práticas energéticas diárias ensinadas nos cursos presenciais da Conscienciologia, contribuem de modo significativo para agilizar o equilíbrio emocional.

03. Bulimia ou anorexia: é a ingestão excessiva ou escassa de alimentos, o que sugere descaso com o uso do corpo humano e com a realização da proéxis. São tipos de autocídios inconscientes. Na maioria dos casos, a conscin não se importa ou valoriza excessivamente a aparência física.

Técnica sugerida: conscientizar-se da gravidade do problema e procurar resolvê-lo. Em ambos os casos, os resultados dos exames laboratoriais solicitados pelo médico, facilitarão a prescrição alimentar do nutricionista; você é uma consciência que precisa do corpo físico para atuar nesta dimensão humana. Por outro lado, selecione alimentos de que seu organismo necessita e não aqueles dos quais você gosta. Seja persistente na reeducação alimentar, até conseguir implantá-la em definitivo na sua vida.

04. Crise existencial: período que surge após um forte impacto emocional, gerando decepção, desânimo, depressão, fragilização, frustração da conscin. A crise pode surgir da inexperiência, teimosia, fase intermediária do período tentativa-erro (mitridatismo das invirtudes fossilizadas), demorando mais ou menos tempo para ser superada.

Técnica sugerida: relacionar os sucessos alcançados, entender que você passou por situações difíceis antes. Identifique a habilidade usada para superar as crises anteriores. Se for o caso, use a técnica de tentativa e erro até acertar; ou ainda, conversar com um amigo ou alguém que veja o problema de um ângulo diferente do seu. Lembre-se de que você é uma consciência usando um corpo biológico, que será descartado com o tempo.

A evolução exige criatividade útil.

05. Depressão: é o estado afetivo de tristeza, melancolia, desencorajamento devido a decepções, fracassos, estresse, inexperiência de vida. Há casos em que a conscin usa roupas escuras e prefere isolar-se do convívio social.

Técnica sugerida: conforme a situação, não se pode dispensar a ajuda dos profissionais de saúde (médico, nutricionista, psicólogo e psiquiatra). Porém, se a conscin tem condições de resolver esse problema poderá iniciar pela postura física. Ao manter o corpo ereto, psicologicamente ficará predisposta a pensar de outro modo, de outra forma. O próximo passo será escolher roupas de cores diferenciadas e aprender a rir dos próprios atos falhos.

06. Descapitalização: é a inabilidade ou algum tipo de patologia que dificulta a conscin organizar o orçamento pessoal. Pode viver endividada durante décadas; é como se fosse normal “desfilar” entre os credores. O travão financeiro merece atenção da conscin desleixada, porque existem seres humanos que nasceram em famílias em condições financeiras precárias e superaram essa condição: “se um pode, os outros também podem”. O dinheiro é importante na realização da proéxis, pois o investimento nos cuidados com a saúde, aquisição de livros, viagens (turismo intelectual), participação em cursos, aprendizado de novos idiomas exigem dinheiro: e isto é responsabilidade pessoal.

Técnica sugerida: identificar o principal motivo dos gastos excessivos e cortá-los, aprender a usar o dinheiro naquilo que é prioritário para a sua evolução, fazer e cumprir o orçamento pessoal a cada mês. Você precisará usar a disciplina e a persistência, que são grátis. Ao surgirem os primeiros resultados, você estará motivado para estudar e investir em aplicações diversificadas.

 07. Desvalorização do parapsiquismo: é o desprezo pelas vivências das próprias percepções extrafísicas; em que a conscin se fixa nos limites de percepção do corpo biológico. Na realidade, a conscin prefere não assumir a responsabilidade pelo desenvolvimento e vivências parapsíquicas pessoais e mantém-se dependente das informações extrafísicas de alguém, que considera ter maior desenvoltura das parapercepções do que ela. Essa ignorância pode levá-la a cometer atos prejudiciais contra si própria. Por exemplo: a conscin está bem fisicamente, mas, quando surge um desconforto estomacal repentino, característico de um acoplamento com energias antipáticas, ignora essa condição e medica-se sem necessidade, porque interpretou o mal-estar de modo errado, equivocado. Esse ser humano ainda não se conscientizou de que o uso do parapsiquismo lúcido e cosmoético é instrumento útil no desempenho da proéxis.

Técnica sugerida: assumir que você está inserido na multidimensionalidade fulltime e, independente da sua vontade interage com outras consciências. Procure identificar o padrão que predomina no seu cotidiano: bem-estar, mal-estar, ponderação, irritabilidade: na maior parte do tempo, você é assistente ou assistido? As práticas diárias do Estado Vibracional fornecem resultados a curto, médio e longo prazos; além disso, funcionam como estímulo para o desenvolvimento de outras modalidades de parapsiquismo: a clarividência, a clariaudiência, a captação de ideias, a “impressão” de estar junto de consciexes ou vê-las (parapsiquismo impressivo). Com o tempo, você se interessará em praticar assistência diária por meio das energias conscienciais (tarefa energética pessoal), até conseguir instalar a oficina extrafísica; e assim, de modo paulatino e esforçado, irá sentir-se cada vez melhor consigo mesmo e com os demais.

08. Fanatismo religioso: é a conscin crédula, que tem a ideologia religiosa como verdade absoluta e quer impô-la a outrem. O zelo excessivo a torna capaz de fazê-la tomar atitudes extremistas e intolerantes, comparável a um ditador. Inteligentes e mal intencionados, fazem discursos falaciosos e distorcem a realidade a seu favor egóico, conseguindo atrair grupos crédulos, compadecidos pela sua fala predominantemente emocional.

Técnica sugerida: o primeiro passo é a conscin querer abandonar essa condição patológica. Se necessário, consultará médico, psicólogo ou psiquiatra para avaliação e recuperação da saúde física e mental.

O aprofundamento do uso da técnica vem com a Consciencioterapia, que se vale das técnicas criadas pela Conscienciologia, para predispor a consciência à autocura: objetiva atingir o fator de origem do desconforto do paciente. Nesse caso, os grupos de consciexes doentes também são assistidos, facilitando a ampliação da lucidez do paciente que, após o tratamento, poderá raciocinar com mais clareza e tomar decisões quanto a próprio destino.

09. Politicagem: é o conjunto de atitudes da conscin, para obter vantagens não merecidas, seja para si ou para um grupo. São as trocas de favores com privilégios, as conquistas advindas das manipulações, enfim: abatimentos ilegítimos sobre o aspecto ético ou moral da negociação.

Técnica sugerida: o interesse, estudo, entendimento, compressão, vivência da ética; e, se possível em paralelo com a cosmoética são os passos iniciais para as reciclagens necessárias nesse momento evolutivo. As qualidades: persistência, determinação, disciplina e esforço pessoal não podem faltar na extinção dos valores anacrônicos, impedidores da evolução pessoal.

10. Preguiça mental: é o estado de prostração e moleza para pensar, exercer a capacidade de raciocinar. A conscin torna inoperante, ocioso o mentalsoma, tornando-se dependente das ideias, opiniões e criatividade de outrem.

Técnica sugerida: entender que o grau de conhecimento varia de conscin para conscin; ninguém sabe tudo. Desenvolva as atividades compatíveis ao seu grau cognitivo e se esforce para ampliá-lo cada vez mais. A falta de dinheiro não é desculpas para não estudar; porque o enriquecimento da memória pode ser feito com as consultas às bibliotecas, com o seu exemplo de vida, conversas com amigos e informações disponíveis em jornais, por exemplo.

11. Síndrome: é a reunião de sintomas e sinais caracterizadores de determinada patologia, gerados por uma ou mais causas inespecíficas. No meu caso, vivenciei dois tipos de síndrome: a síndrome da dispersão consciencial e outra a que denominei síndrome do emburrecimento.

A síndrome da dispersão consciencial é o tipo de patologia em que a conscin se dedica diariamente, de modo automático e prioritário, à realização de uma série de atividades secundárias ou terciárias à realização da proéxis. Com essa falta de lucidez associada à autodesorganização, dissemina seus esforços, perde energias conscienciais, minimiza a produtividade útil, enfraquece a parceria com os amparadores da tarefa principal, perde as companhias evolutivas e caminha para a incompletude da proéxis.

Técnica sugerida: escrever as todas as ocupações desenvolvidas no cotidiano pessoal, identificar e selecionar qual delas está habilitada a desempenhar e poderá ajudar maior número de consciências. Para isso, reconhecerá as qualidades pessoais, as experiências de vida, as superações concretizadas, para informar quem precisa ultrapassar esse gargalo.

A síndrome do emburrecimento é a dificuldade de a conscin lembrar informações evolutivas teóricas e vivenciais desta vida humana, devido à série de impactos emocionais causadores da sensação de possuir um espaço vazio no interior da cabeça. Esse bloqueio cortical intenso, reforçado pelo ectoplasma, gera amnésia parcial comparável a um semiencapsulamento mnemossomático, ocasionando dificuldade de organizar as ideias, confusão mental, falta de coesão textual e incoerência na escrita.

 Técnica sugerida: a intensificação das práticas do Estado Vibracional, as práticas diárias da Tenepes, a movimentação das energias conscienciais na região da cabeça, a técnica do auto-arco voltaico, a participação em cursos de campo, a dedicação à leitura e à escrita, além da persistência destas ações, são eficientes para dissipar a síndrome do emburrecimento. No meu caso, ainda sou convalescente desta patologia.

12. Reencontros de destino: é encontrar novamente um grupo de consciências do seu passado milenar e/ou secular, com os quais os relacionamentos interpessoais ficaram mal parados. Nesta vida, independente da primeira impressão ter sido agradável ou não, na convivência diária surgem grandes conflitos por motivos banais, reforçados pelas consciexes que defendem ideias nocivas da época em questão.

Técnica sugerida: a primeira ação é manter a calma, independente dos desconfortos vivenciados. É melhor ser chamada de boba, medrosa, covarde do que agravar a situação; porque a comoção perniciosa agrega numerosos adeptos e, sem a parceria dos amparadores, você poderá ser linchado energeticamente pelo grupo; ficando sem energia para realizar seus projetos proexológicos. Outro procedimento exitoso é tornar-se evoluciente em Consciencioterapia, participar de dinâmicas parapsíquicas e dos cursos de campo, praticar a Tenepes diariamente para que os grupos de consciências doentes sejam encaminhados. Persistir na assistência, até que a situação melhore.

13. Tradicionalismo: é o conjunto de atitudes, práticas, ideias conservados pela conscin, mantendo-na na condição de antepassada de si mesmo, nas vivências conscienciológicas. Nessa mesmice estagnadora, enquadram-se:

a) Catequese: querer “converter” as consciências para a Conscienciologia, em total desrespeito para o que é melhor para ela, nesse momento evolutivo. Desconheço uma técnica que permita identificar o percentual de ligação energética de cada conscin com determinada religião. Informar e respeitar a decisão alheia é a melhor forma; porque, o que é bom para você, nem sempre será para outrem.

b) Lente: uso da lente intrafísica, a defesa de valores sociais no trato de fatos da Conscienciologia. É o caso de quem vê a pessoa, ao invés de olhar a consciência que está a sua frente. Com isso, vê a idade, posição social, nível de escolaridade, deixando em segundo plano as companhias extrafísicas e a ficha evolutiva pessoal.

c) Poder: manutenção das sinapses das retrovidas, quando assume o “poder”, ou liderança, numa Instituição Conscienciocêntrica. A conscin em qualquer cargo de destaque pode conectar-se ao amparo ou assédio de função. Ao ser conectar ao amparo de função, adquire a cosmovisão e trabalha para o desenvolvimento grupal. Quando se vincula ao assédio de função, defende o interesse pessoal ou daqueles com os quais têm afinidade. No momento em que a conscin assume cargos de liderança, grande parte de seus traços-fardos, defeitos, vem à tona, oportunizando as reciclagens necessárias ao contexto evolutivo.

d) Posturas: conservação de posturas religiosas (queixa, complexo de inferioridade, vitimização, genuflexão), posturas monárquicas (complexo de superioridade, imposição da vontade pessoal, soberba) e posturas políticas (manipulações, conchavos, autoritarismo) são modos de proceder trazidos de vidas anteriores.

e) Sexo: desviar-se da proéxis devido à escolha de parceiros de dupla evolutiva, a partir de critérios estabelecidos para o casal completo da sociedade humana; ou vivenciar extremos da sexualidade: celibato ou promiscuidade. Nada disso é comparável à constituição sadia da dupla evolutiva, em que o casal se une, para trabalharem em prol dos assistidos comuns ao passado de ambos.

14. Vício antifisiológico: defeito ou imperfeição grave de uma personalidade humana, prejudicial a si. Por exemplo: bebidas alcoólicas, fumo, drogas e todo tipo de alimento que comprovadamente o organismo não precisa e o destrói. A conscin egóica pensa no prazer que ela irá sentir; com isso ignora os efeitos destrutivos causados no próprio corpo biológico, no desconforto emocional proporcionado aos parentes e amigos, na parceria danosa com os assediadores extrafísicos, quando pratica esses atos insanos.

Técnica sugerida: em primeiro lugar a conscin precisa sentir-se amada por si mesma, reconhecer os próprios valores, valorizar o carinho dos pais, dos amigos, das consciexes amparadoras disponíveis e desprezadas. O próximo passo será buscar ajuda de profissionais competentes para melhorar a autoestima, se você ainda se sentir fragilizado para buscá-la sozinha. É bom pensar que existem tantas consciências, de fato, precisando de ajuda; basta você decidir sair da condição de doente e assumir a condição de “enfermeiro(a)”.

15. Vícios modernos: são tendências, individuais ou grupais nocivas da atualidade, em que as conscins perdem tempo com o desempenho de atividade secundária ou, intencionalmente prejudicam outrem. Exemplos: assédio moral, bullyng, balonismo, paraquedismo, danceteria, “viver na night”, moto, rachas, esportes radicais são defeitos, imperfeições graves, que precisam ser reciclados.

Técnica sugerida: o primeiro passo é a conscin compreender que ela é a mais prejudicada, quando tem esses tipos de vícios ou outros similares. A ultrapassagem desse gargalo pode ser feita pela dedicação ao estudo, desenvolvimento de novas capacidades cognitivas, para minimizar gradativamente a ações instintivas. Uma das formas de evoluir é trocar as ações instintivas pelas ações altruístas.

A inclusão desses itens foi necessária para você ter algumas noções dos fatores que dificultam a realização da proéxis. A partir da lógica, do bom senso e da racionalidade você poderá identificar outros mais sutis; a exemplo da irritabilidade, que desestabiliza emocionalmente a conscin, permitindo fácil conexão com os assediadores.

Para alcançar melhores resultados em sua proéxis, a informação teórica é importante; mas, o maior valor está na prática, no dia a dia, nas experimentações cotidianas, em que existem inúmeros motivos para reciclar.

http://www.recexis.org/index.php?option=com_content&view=article&id=74:motivos-para-a-recexis&catid=4:publico&Itemid=3 

Renovações Pessoais

PALESTRA PÚBLICA

TEMA: RENOVAÇÕES PESSOAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DOS TRAÇOS-FORÇA DA CONSCIÊNCIA

Autora: Adriane Corrêa

Renovação

Renovações Pessoais: a importância da mudança

Evolução significa movimento. Para que a consciência evolua, cresça, é mister que ela passe por mudanças. Mudar significa passar de um estado para outro, de uma condição para outra, da situação atual para outra desejada. Porém, mudar não é fácil. Somos consciências multimilenares e possuímos traços favoráveis e desfavoráveis para a nossa evolução. O objetivo desta pesquisa é propor uma reflexão sobre os traços fortes da consciência, por intermédio da autopesquisa, e apresentar técnicas no intuito de facilitar as renovações pessoais. Reciclar exige trabalho para incrementar com teática novos mecanismos de funcionamento, não se devendo achar que existe “mágica” para produzir a reciclagem existencial.

 O que é reciclagem existencial e reciclagem intraconsciencial

  • Reciclagem existencial é a técnica conscienciológica que objetiva a mudança para melhor de todo o curso e perspectiva da vida humana do reciclante, motivado a adotar novo conjunto de valores ante a vida e todos os princípios conscienciais multidimensionais.
  • Sinonimia: Mudanças pró-evolutivas, recéxis, renovação consciencial, reperspectivação existencial, virada de mesa.
  • Antonimia: mimese dispensável, repetições inúteis, acomodação, acrasia, preguiça, perda de tempo e de oportunidades, robéxis.
  • Reciclagem intraconsciencial é a renovação cerebral através da criação de novas sinapses ou conexões interneuroniais capazes de permitir a aquisição de novas idéias, auxiliando na reestruturação da forma de pensar, sentir, agir e reagir.

 Exemplos de reciclagens conscienciais

As mudanças ocorrem nas nossas vidas diuturnamente. Nosso corpo físico muda continuamente, queiramos ou não. Podemos mudar várias coisas: o cabelo, o emprego, o namorado, o carro etc. Nosso enfoque nesta pesquisa será na mudança de comportamento, na renovação para melhor dos traços da consciência, nos atributos conscienciais, no upgrade gerado pela reciclagem.

  Perguntas  e respostas sobre a reciclagem

1. Quem pode executar a recéxis? A conscin já comprometida com interesses humanos definidos e que anseia mudar-se para melhor.

2. Quando pode-se abraçar o processo da recéxis? Quando seja possível, quanto antes melhor.

3. Por que se desenvolve hoje a recéxis? Porque as conscins, estando mais lúcidas e saturadas tão-só das rotinas humanas, anseiam alcançar a condição da desperticidade e, depois, do serenismo.

4. Qual a vantagem de se executar a recéxis? Alcançar a expansão satisfatória da proéxis.

 Crises de crescimento e crises de sofrimento

  • Crise de crescimento é a condição específica de conflito íntimo vivenciado pela consciência, capaz de oportunizar novas posturas, atitudes proativas, reciclagens existenciais e reciclagens intraconscienciais.
  • Crise de sofrimento é o estresse doentio gerado pelo momento difícil vivido pela consciência, que por imaturidade, não enxerga através da crise, oportunidade de crescimento, utilizando-a enquanto instrumento de mudanças.

O ideal é antecipar as crises de crescimento. Não é evolutivo viver na inércia.

Você tem desafios, hoje, na sua vida?

 Os traços força, traços fardo e traços faltantes da consciência.

TRAFOR – traço-força da consciência, alavancador da evolução pessoal, facilitador evolutivo, qualidades.

TRAFAR: traço-fardo da consciência, fissura consciencial, dificuldade evolutiva, defeitos.

TRAFAL: traço faltante na personalidade da consciência, trafor a ser adquirido.

 O trinômio autevolutivo: eliminação de trafar – aquisição de trafal – fixação de trafor.

Esse trinômio encontra-se no verbete Trafor Consequente (Especialidade Traforologia) da Enciclopédia da Conscienciologia e é a base do presente estudo. Visa à construção de um perfil autevolutivo mais eficiente e assistencial por meio da reciclagem.

 Fatores atravancadores da reciclagem

  • Síndrome de Gabriela: Nos anos 70 a Rede Globo exibiu uma novela, cuja protagonista era chamada Gabriela, interpretada pela atriz Sonia Braga, cuja música tema, cantada por Maria Bethania, tinha em sua letra o seguinte refrão: “… eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim, Gabriela, sempre Gabriela… Assim, a síndrome de Gabriela é um comportamento que se manifesta pela atitude de recusa à mudança e resistência aquilo que é novo ou diferente dos padrões pré-estabelecidos.
  • Medo: muitas vezes as pessoas fogem das mudanças por causa do medo. O medo de dar errado, o medo de não conseguir, o medo de se frustrar, o medo de arriscar, o medo do ridículo, o medo de não ser aceito, o medo de sentir medo.
  • Decidofobia: medo de decidir, preferir ficar na zona de conforto. Viver a vida como aquela música do Zeca Pagodinho: “deixa a vida me levar, vida leva eu…”
  • Procrastinação: empurrar com a barriga, deixar para amanhã, não agir, não tomar decisões.
  • Ganhos secundários: em geral existe algum ganho que a pessoa não quer abrir mão, e que a impede de mudar.
  • Gargalos evolutivos: todos esses fatores impeditivos da renovação são considerados verdadeiros gargalos evolutivos, que uma vez superados colocam a consciência em um novo patamar, pronta para novos desafios.

Há conscins que não querem mudança de coisa alguma, nem de si mesmas

(Vieira, 700 Experimentos, p. 688)

 Qual o meu nível de recexibilidade?

(Vieira, 700 Experimentos, p. 685)

 Como executar a reciclagem?

Através da vontade, da disciplina e da reprogramação existencial com bases nos princípios da Conscienciologia, pela utilização de técnicas.

Apresentamos a seguir as quatro fases da Consciencioterapia.

 Autopesquisa – autoinvestigação

A autopesquisa é a base do autoconhecimento é a megaferramenta e o megadesafio de toda consciência lúcida quanto à sua evolução.

Trabalhar a autopesquisa de forma técnica: importância do comprometimento e da aplicação de técnicas que vão ajudar a pessoa a fazer o autodiagnóstico.

 Técnicas:

  • Identificação de trafores, trafares e trafais elaboração de uma lista contendo trafores, trafares e trafais. Vale a pena pedir para amigos, inimigos, familiares, colegas de trabalho para fornecerem listagem com nossos traços, sempre usando auto-crítica na avaliação.
  • Técnica dos dicionários, sinônimo e antônimo: é muito importante o conhecimento da definição de cada palavra, para o real entendimento e posterior diagnóstico consciencial. Listar sinônimos e antônimos também ajuda.
  • Técnica da identificação das insatisfações: escrever todos os sintomas que estão levando a pessoa a ficar insatisfeita, vislumbrando a posterior melhoria.
  • Técnica dos questionamentos: questionar-se continuamente com o intuito de qualificar a autopesquisa, identificar atributos, imaturidades e verificar como a pessoa funciona.
  • Técnica da checagem holossomática: checar a condição de cada um dos veículos de manifestação a fim de perceber sua real condição diante das situações. Ajuda a conscin a se perceber de uma maneira melhor.
  • Técnica da madrugada: essa técnica pode ajudar no desenvolvimento do autoconhecimento. Consiste em acordar no meio da noite – por exemplo as 3 da manhã – pegar folha em branco e escrever sobre as suas dúvidas sem reprimir qualquer tipo de idéia.

 Autodiagnóstico

  • Autodiagnóstico é a condição de auto-entendimento, autoconhecimento e autocompreensão, que ocorre quando a pessoa identifica sem dúvida o próprio mecanismo de funcionamento, o que precisa mudar e como produzir essa mudança.

 Auto-enfrentamento

Auto-enfrentamento é a ação daquilo que falta para sanar o problema.

  • Esforço pessoal: sem vontade, coragem, disciplina e auto-organização não ocorrem as mudanças. É nessa fase que a consciência arregaça as mangas e põe a mão na massa.
  • Técnica das pequenas ações: ninguém chega do 0 ao 100% da noite para o dia. O ideal é implantar pequenas e constantes ações, agindo no cotidiano de maneira mais sadia e criando novas sinapses que possibilitam o enfrentamento cada vez maior de novos desafios.
  • Técnica das rotinas úteis – hábitos saudáveis: aqui a consciência organiza-se de tal modo que, a partir da execução de suas rotinas, ela já começa a sentir melhora, mesmo que pequena. A palavra de ordem é organizar-se e começar a agir agora, faça chuva ou faça sol.
  • Técnica da chapa quente: procurar expor-se, intencionalmente, desdramatizando a dificuldade.
  • Técnica das evitações inteligentes: “O que não presta não presta mesmo” (Vieira, 1994). A técnica consiste em evitar locais, pessoas, pensamentos, sentimentos e energias que remetam ao comportamento ou traço que se pretende reciclar. A pessoa passa a agir de outra forma, eliminando as suas autocorrupções.

 Autossuperação

  • Momentos de checagem: checar constantemente suas ações, seus pensamentos, sentimentos e energias, tornando o seu processo de homeostase sustentável. A consciência tem um upgrade, age em novo patamar e se qualifica para novos desafios.
  • Continuísmo evolutivo: a manutenção é o processo que necessita de maior atenção. A atenção, inclusive, deve ser constante. Assim, a consciência alcança um bom nível de resolução com relação aos traços enfrentados, conseguindo uma auto-sustentação e fazendo da reciclagem uma rotina.

 Efeitos das reciclagens conscienciais no cotidiano

  • Aperfeiçoamento. Alteração para melhor das vidas intrafísica e extrafísica.
  • Autodomínio. Libertação muito maior da conscin dos problemas banais do dia a dia, surgindo razões racionais para se viver com alegria e plenitude de realização.
  • Desempenho. Intensificação da energização corporal, disposição física e motivação psicológica nos empreendimentos pessoais bem planificados.
  • Desempenho. Obtenção de melhor rendimento afetivo e intelectual.
  • Hiperacuidade. Eliminação na consciência, tornada mais lúcida, da incidência de frequentes surtos de imaturidade.
  • Holocarmalidade. Melhoria do saldo da conta corrente holocármica.
  • Holomaturidade. Alcance pela personalidade, muito mais depressa, da condição da maturidade consciencial integrada ou holomaturidade.
  • Intermissão. Predisposição a um melhor curso intermissivo à frente, com possibilidades maiores de planificar a próxima existência intrafísica.
  • Liberdade. Aumento da liberdade de ação da conscin em todas as suas manifestações, na condição de microuniverso multidimensional lúcido (desrepressão).
  • Parapsiquismo. Abertura e ampliação das parapercepções energéticas, anímicas e parapsíquicas.
  • PCs. Dinamização das PCs, ou projeções conscienciais lúcidas de alto nível.
  • Trinômio. Adaptação do ego à fórmula ideal de sobrevivência humana que conjuga a motivação, o trabalho profissional e o lazer em um só contexto integrado.

http://www.assipec.org/site/index.php?option=com_content&view=article&id=110%3Arenovacoes-pessoais&catid=50%3Atextos-das-palestras&Itemid=143

Drogadição e Invéxis

Autor: Amaral, Flávio

Drogas

Se a conscin é realista durante a opção pela invéxis, a opção contrária às drogas já é pacífica e superada. 

Contudo, vale o estudo exaustivo do assunto, notadamente por parte do professor de Invexologia, para explicitação e ganchos argumentativos, durante as aulas aonde há predomínio do público jovem.

Eis 28 argumentos, dentre inúmeros outros, na ordem alfabética, obviamente contrários ao holopensene da drogadição, narcomania ou toxicomania:

1.  Autoengano. Todo drogadito autoengana-se.

2.  Bom senso. A rigor, o discernimento não chegou para quem acredita em “consumo com moderação” (falácia do bom senso).

3.  Desconfiômetro. A conscin lúcida aplica o desconfiômetro até para substâncias legais (cafeína, chimarrão, energéticos, medicamentos).

4.  Escolaridade.  Quem nunca teve aquele colega brilhante que jogou os estudos no buraco, em poucos meses, a partir do contato com as drogas? O jovem atento vê o efeito dos tóxicos com os próprios companheiros do colégio.

5.  Experiência. Experiência de vida não é ter experimentado esta ou aquela droga, e sim, atravessar a adolescência livre e sem interesse nestas substâncias. 

6.  Fumaça. Fumaça é ar poluído, inclusive a do incenso. 

7.  Fumo. Fumar é deixar a massa cinzenta dos pulmões guiar a massa cinzenta cerebral.

8.  Hipocrisia. O drogado culpa “hipocrisias sociais”, mas é o primeiro a cometer hipocrisias: mente para si, quando pensa que é “usuário consciente”. É também o último a admitir-se viciado. 

9.  Holanda. A Holanda começa a rever sua política de permissividade quanto à maconha e alucinógenos, ao perceber que as leis mais brandas aumentaram o narcotráfico, ao contrário do esperado.

10.  Isenção. Não ter vontade para consumir determinada substância, dá maior isen¬ção para falar da mesma. 

11.  Juventude. Se a pessoa não foi atraída às drogas na juventude, as chances de tornar-se adulto usuário são muito menores. As empresas de cigarro e bebidas sabem disso e deixam claro nas publicidades comerciais, invariavelmente voltada aos jovens.

12.  Legalização. As campanhas pró-legalização furtam-se de discutir os efeitos dos tóxicos sobre a saúde. Preferem desenvolver acrobacias mentais para acabar com as políticas atuais, funcionantes, embora parcialmente.

13.  Megaproblema.  Educação, saúde e segurança são, de longe, problemas prioritários de qualquer sociedade. As drogas são o “pacote 3 em 1” dos males sociais, atentando diretamente contra estas sérias questões. Alguém vai defender o uso de drogas para tornar a sociedade mais educada, saudável e segura?

14.  Paliativo. Muitas campanhas de “redução de danos” podem bem ser chamadas de “use drogas com dignidade” ou, “aqui você pode se drogar sem sofrer preconceitos”.

15.  Panfletos. Associações de redução de danos distribuem panfletos e materiais informando como usar drogas de maneira “menos nociva”, até com verbas públicas. Em outras palavras: os narcotraficantes vendem as drogas, e as instituições, em parceria com o Poder Público, distribuem os manuais de instrução.

16.  Parapsiquismo.  Com a sensibilidade paraperceptiva a conscin percebe os efeitos nocivos das drogas através da assimilação energética, sem precisar experimentá-las. Quem desenvolve a sinalética energética não deseja envolver-se com o holopensene dos tóxicos.

17.  Personalidades. Personalidades públicas tentam pressionar pela legalização da maconha, para poderem fumar sem “sujar o próprio nome”.

18.  Posicionamento. Droga não presta. Sem este posicionamento, não adianta delongar-se em outros.

19.  Profilaxia. Quem é ex-viciado passa a vida lutando para manter-se livre das drogas. A única cura segura contra a dependência às drogas é a profilaxia de não experimentar. 

20.  Recéxis. Quem usa drogas não pode dizer que perdeu a invéxis. Passou longe dela. A luta do ex-usuário para permanecer “limpo” indica o predomínio da recéxis sobre a invéxis na vida pessoal.

21.  Revistas. Certas revistas para público jovem, enquanto deveriam servir de alerta, são banalizadoras e flexibilizadoras do modo de vida pró-drogadição, por exemplo, com posicionamentos não-conclusivos, exaltação de ídolos mortos por tóxicos, e o “barato” apresentado como algo bom.

22  Socialização.  Hoje, o rapaz mostra a nova droga à pré-adolescente, para impressioná-la. Amanhã, a mesma moça procura abrigo para fugir do marido alcoólatra. Conclusão: as drogas não servem para socializar. Quem apresenta droga a outro não pode se dizer “amigo”. 

23.  Suíça. A Suíça sofreu após criar áreas de “consumo assistido” de LSD e outras drogas. A criminalidade e a degradação explodiram nos bairros circunvizinhos, além do estímulo do “narcoturismo” no País.

24.  Tabagismo. As multinacionais do tabaco já estão de olho nas campanhas para legalizar a maconha, pois são alternativas de negócios às ofensivas públicas mundiais contra o cigarro comum.

25.  Traficante. Antes, o problema eram os traficantes disfarçados a vender drogas na porta da escola. Hoje, o traficante é o próprio aluno, filho de família. 

26.  Vício. O usuário erra quando pensa que viciado é quem quer parar e não consegue. Vício é agir para atender a um mau hábito.

27.  Vida Urbana. A escalada das drogas ocorre ao ar livre, aos olhos de todos, da cerveja ao cigarro, à vodca, ao arguile, à maconha, ao ecstasy.Quando chega na cocaína é muito tarde, pois o jovem já foi entupido e atraído para os tóxicos.

28.  Vinho. Quem defende o cálice de vinho para o coração, ao invés de promover o suco de uva, e as frutas em geral, ainda possui interesse espúrio, afinal, tenta promover um bem inferior, com efeitos colaterais, no lugar do bem superior.

Qual a sua opinião sobre as drogas?

http://www.assinvexis.org/artigos/drogadicao.php