Mudança de Paradigma

Mudança de paradigma
Tradução: “Oh wow! Mudança de paradigma!”

Mudança de paradigma: Muitos de nós fazemos coisas repetidamente sem sequer nos apercebermos do porquê de as fazermos daquela forma. Isso acontece simplesmente porque fomos condicionados numa determinada mentalidade geralmente desde a nossa infância, quer pelo exemplo dos nossos pais ou familiares, quer pelo que nos ensinaram durante a nossa formação.

Mudança de paradigma: O que é?

Mas afinal o que é um paradigma? Um paradigma é:

  • Um modelo mental
  • Uma maneira de ver
  • Um filtro para a percepção das coisas e dos fenômenos
  • Uma moldura de referência
  • Um modo de pensar, ou um conjunto de crenças através das quais se interpreta o mundo
  • Um exemplo usado para definir um fenômeno
  • Uma crença tida em comum entre um grupo de pessoas

Assim, mudança de paradigma significa a mudança de uma maneira de pensar, por outra. Uma revolução, uma transformação, uma espécie de metamorfose.

O condicionamento mental impede a mudança de paradigma

Ao longo da nossa vida, vamos acumulando experiências e vivências que nos condicionam a fazermos as coisas de uma determinada maneira e pior do que isso, pensarmos que não existe outra forma de as fazer.

Uma mudança de paradigma passa por alargarmos os nossos horizontes  e não rejeitarmos ideias diferentes só porque nos parecem pouco comuns. A definição de insanidade é:

“Fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.”

Certamente, já serias rico e feliz se o que estás a fazer desse certo. Qualquer outra coisa que a tua mente invente como resposta não passa de uma desculpa esfarrapada.

Quando não atingimos o que queremos é frequente arranjarmos as mais diversas desculpas e culparmos alguém ou alguma coisa pelo nosso fracasso.

Mas, se refletirmos um pouco e formos honestos conosco próprios, vamos perceber que a pessoa que sempre esteve lá quando algo nos aconteceu, fomos nós! Então, nós somos os causadores dessa coisa e não os outros.

Ouço todos os dias as pessoas queixarem-se das suas vidas miseráveis e deitarem as culpas no estado, no patrão, nos colegas, no sócio, no marido, nos pais, nos amigos, no periquito… Mas, a realidade é que quando lhes perguntam porque não fazem algo a respeito a resposta é: “não posso”.

Quem controla a tua vida, afinal?

Fonte

Vazio Existencial e Proéxis

No mundo inteiro, em diferentes épocas e até os dias de hoje, milhares de pessoas se pergutam sobre o sentido da vida.

Alguns, apesar de, diante da sociedade, preencherem todos os requisitos do sucesso, como estabilidade profissional, bens materiais, família, poder, prestígio, dentre outros, sentem a falta de algo. Vivenciam o vazio existencial, pois a existência para eles não tem sentido algum. A vida torna-se “sem vida”, mecânica e desmotivante.

Por outro lado, há também aqueles cujos relatos referem-se a sensação de ter algo a realizar, de possuírem determinada tarefa, única e intransferível, a ser cumprida, espécie de projeto de vida, missão, vocação ou propósito. Sentem que nasceram para contribuírem com o mundo. Tal convicção íntima dita a direção, o caminho a ser trilhado ao longo da existência.

Para a Conscienciologia, a ciência da consciência, estudando o ser humano de maneira integral, multidimensional e multiexistencial, a meta, objetivo ou finalidade maior da vida corresponde ao conceito da programação existencial ou proéxis.

A proéxis é o conjunto de metas e estratégias exclusivas, intransferíveis da vida de cada pessoa, dando-lhe significado, de natureza interassistencial, solidária e cosmoética, contribuindo para a melhoria da humanidade.

http://www.apexinternacional.org/site/br/institucional/palestra-gratuita-sobre-o-proposito-da-vida

Verbação (Verbaciologista)

Verbação = 1% do Verbo + 99% da Ação.

Definologia. O verbaciologista é a conscin lúcida, mulher ou homem, aplicada à vivência da interação prática, permanente, do verbo e da ação integrada, ou verbação, conjunto das ações ou realizações vivenciadas, primeiro, e do verbo (palavra, afirmação, discurso, promessa, revelação), exposição dos fatos, depois, ínsitos no autocomportamento coerente, relativamente à condição do resultado da palavra ratificada pelo exemplo, por meio de testemunhos vivos e vividos no âmbito da Socin.

Fatologia: a coerência intra e extraconsciencial; a vivência coerente; a interfusão das palavras com as ações pessoais; os fatos pessoais indesmentíveis; a ratificação do exemplarismo; a autorganização; a autopriorização a verbação mantida minuto a minuto; a vida condizente com o próprio discurso; a biografia coerente; a honestidade intraconsciencial (…).

O VERBACIOLOGISTA, HOMEM OU MULHER, APONTA,
DESDE JÁ, A DIREÇÃO COMPORTAMENTAL DA HUMANIDADE
FUTURA EMBASADA NA AUTENTICIDADE
E EXPLICITAÇÃO PENSÊNICA, PERMANENTE, EM TUDO.

Fonte: Verbete Verbaciologista (Link)